Durante o governo Mulim, bandidos experientes enriqueceram explorando os alunos da rede municipal de ensino, a maioria de origem pobre. Superfaturaram a merenda escolar e entregaram maletas de livros, comprados sem licitação e também superfaturados, para estudantes semianalfabetos. A Educação gonçalense teve dias honestos no início do governo Nanci. Semana passada, após a exoneração de Diego São Paio da Secretaria, os dias de honestidade acabaram.

Segundo o dicionário Michaelis, honesto é aquele “que possui e demonstra dignidade e se rege por valores morais e éticos elevados”. A demissão de Diego São Paio foi um sinal gritante de baixeza moral e indignidade do governo Nanci.

A gestão de Diego contratou professores, reduziu o valor gasto com merenda, elevando a qualidade da mesma, e planejou a inclusão de atividades como robótica e criação de games na Educação, impensáveis na administração anterior. Antes desanimadas diariamente, vi crianças satisfeitas caminhando aos sábados para a Escola Municipal Raul Veiga para receber aulas de reforço.

Diego São Paio inaugurou a Escola Municipal Nicanor Ferreira Nunes, no Jardim Catarina, e deu transparência às finanças, dinamismo e energia à pasta. A Ouvidoria da Educação passou a responder os emails dos cidadãos, algo raríssimo entre as secretarias municipais.

O secretário conseguiu milhões em verbas federais para permitir o aumento em quase 50% da quantidade de creches, e também recursos para a criação de um programa de apoio a superdotados, abandonados por sucessivos governos. Diego falava dos alunos da rede com amor de professor, apesar de ser administrador por formação. Não é fácil construir tanto em apenas 6 meses em qualquer cidade brasileira.

No dia 11 de julho o prefeito José Luiz Nanci – que aplaudia e acompanhava sorridente, ao lado do secretário, o anúncio de cada conquista – exonerou Diego São Paio sem dar explicações à população. Os jornais Daki e Extra, donos das melhores coberturas políticas da cidade, nessa ordem, publicaram informações que levam à seguinte conclusão: Diego São Paio foi exonerado para que a Secretaria de Educação volte a ser um cabide de empregos explorado por vereadores corruptos.

Em 6 meses, naturalmente, não foram resolvidos todos os problemas da pasta, algumas escolas alegavam falta de professores. Agindo como um fantoche nas mãos de criminosos estabelecidos na política municipal, Nanci sequer agradeceu publicamente a Diego pelos serviços prestados, como é comum entre seres educados.

As crianças e os adolescentes da Favela da Central, no mesmo bairro da Escola Municipal Raul Veiga, passam o dia disputando uma vaga de flanelinha no estacionamento ilegal ao lado da favela. Eles comem no local em troca de algumas gorjetas jogadas pelos motoristas. Enquanto a Secretaria de Educação desenvolvia projetos pioneiros, os flanelinhas menores de idade podiam sonhar com um futuro diferente. O futuro deles agora pertence aos vermes da política gonçalense.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta