Você que vem de carro e entra em São Gonçalo, abaixe os vidros do veículo, ligue o pisca-alerta, mesmo de dia, mostre que sabe que o Estado não manda aqui e aguente as consequências passivamente.

Melhor seguir reto pela BR-101, olhando pra frente, caso não seja vítima de um dos arrastões e o trânsito não esteja bloqueado. Não é permitido ver nossa destruição à direita nem o esgoto sem tratamento que jogamos à esquerda na Baía de Guanabara. A podridão que erguemos em São Gonçalo só diz respeito a nós.

Se for para a Região dos Lagos, muito cuidado para não contar a ninguém na praia aquilo que encontrar enquanto atravessa a cidade. São Gonçalo não pertence mais ao seu povo e queremos que as coisas continuem assim.

Se por algum motivo descer em solo gonçalense, você também estará dominado. Recomendo ficar tranquilo e não reagir diante de uma recepção armada. Não existe lógica na violência, pode ser que a gente se espante com a sua presença e atire para o alto e até na sua direção. Nada pessoal, acontece com os próprios gonçalenses, inclusive. Ah, venha de tênis, não de chinelo, pra lama não entrar no meio dos seus dedos e pra evitar que o esgoto a céu aberto respingue nas suas pernas.

A poluição do ar é enorme, espero que não seja sensível. São Gonçalo tem um cheiro próprio, o cheiro do escapamento dos veículos misturado com a poeira da terra e combinado com o lixo espalhado nas ruas. Fuligem, poeira e comida estragada são os componentes do cheiro gonçalense. Junto com a propaganda visual ilegal nas passarelas, na fiação elétrica e nos postes de luz, que aumenta ainda mais durante a campanha eleitoral, quem não estiver acostumado pode sentir tonturas.

À noite só se lembre de ligar a luz interna e abaixar o farol do carro. O resto é tudo igual. Por causa da quantidade absurda de lâmpadas queimadas e pelo medo da violência, as ruas da cidade estarão praticamente desertas. A escuridão política e social gonçalense não pode ser iluminada. Quem manda em São Gonçalo sou eu, depois do leitor.

Ass: ML JR

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

2 comentários

  1. A cidade onde cresci e tenho tantos amigos queridos não merece isso. Muito triste.

  2. Como dói ver um município que tem tantos talentosos e esforçados trabalhadores, totalmente largado.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta