Investigações do Ministério Público do Rio (MP-RJ) revelaram, dia 25 de fevereiro, mais detalhes sobre a quadrilha que usava o nome do cidadão gonçalense em consultas falsas para roubar dinheiro do Sistema Único de Saúde (SUS). Os bens de 30 integrantes do esquema, entre eles ex-secretários e políticos, foram bloqueados e o total desviado chega a R$ 35 milhões. Aos piores políticos de São Gonçalo não basta ignorar as necessidades do povo, eles sentem obrigação de tirar proveito delas.

Os principais suspeitos do crime alegam inocência, perseguição política, dizem até que são evangélicos. Quase acusam a população, que fica horas na fila dos hospitais aguardando atendimento, de ter roubado a bolada milionária e distribuído entre parentes e amigos.

Para o gonçalense honesto, o momento é de reflexão e volta por cima. As transações ilegais contra o SUS ocorreram entre 2005 e 2010, o que leva à seguinte pergunta: quantas fraudes mais esconde o passado da cidade? A Educação, Cultura, os Transportes e a Limpeza Urbana municipal estão tão debilitados quanto a Saúde. Por que os dois Centros de Esporte e Lazer Unificados, com verbas de R$ 10 milhões, ainda não foram construídos? A construção da Policlínica no Vila Três parou há meses, a obra tem tantas infiltrações quanto a Câmara Municipal. Incompetência ou corrupção impede essas obras?

Milhares de cargos comissionados na administração pública, livros superfaturados, contratos de emergência milionários para coleta de lixo, tantas aquisições sem licitação, quem engorda com elas? Certamente não é a Biblioteca Comunitária Visconde de Sabugosa, no Jardim Catarina, que ameaça fechar as portas por falta de recursos. Jovens carentes que estudam na biblioteca para fazer o ENEM podem perder o espaço. Também não ganha o servidor municipal concursado que incansavelmente reivindica melhores salários e condições de trabalho.

Há bastante eleitores na cidade que se culpam pelas ações de políticos corruptos ou incompetentes. Estão absolutamente enganados. A culpa é dos malditos que traem a confiança recebida e alimentam suas contas bancárias com dinheiro público.

Os safados que roubaram do SUS, e outros que na mesma época lesaram o erário para sustentar ilegalmente entidades religiosas, são da mesma laia dos políticos que destruíram parte das belezas naturais desta terra construindo, sem planejamento, uma cidade onde as principais vias são corredores sujos e rios são chamados de valões de esgoto.

A volta por cima fica por conta de cada um, desde que sendo inocente não culpe a si mesmo.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta