Mulim não trouxe esperança de futuro melhor

O visitante que caminha por São Gonçalo sente nojo de tanta sujeira e desorganização, enquanto o cidadão ao seu lado morre de vergonha do lugar onde mora, sem esperanças de um futuro melhor.

Há anos os gonçalenses reclamam que lixo e esgoto a céu aberto tomam conta da cidade, mas o governo municipal permanece inerte diante de seus maiores problemas. Apesar do péssimo serviço, a Marquise continua como empresa coletora de lixo e as poucas obras de saneamento básico seguem em ritmo insuficiente.

Afinal, o que Mulim tem feito? Metade do mandato acabou e ainda não sabemos qual é a identidade deste governo, a marca que o diferenciaria dos demais governos inúteis. Até agora se destacou a autopropaganda mentirosa – há placas dizendo que a Prefeitura concretou ruas que permanecem esburacadas – e o apoio criminoso dado ao Partido da República (PR), que poluiu a cidade livremente nas últimas eleições estaduais.

Onde estão as grandes obras, como a estação das barcas e a Linha 3 do metrô? Divulgaram a liberação da verba federal em 2013 para a Linha 3 mas o governo municipal, representante do povo e maior interessado na construção, foi incapaz de viabilizá-la junto aos responsáveis.

Onde estão os grandes programas sociais e culturais? O último evento musical realizado pela Prefeitura no Centro Cultural Joaquim Lavoura tinha menos de 50 pessoas! Centenas de gonçalenses que gostam de música passaram a noite em casa porque o evento não foi divulgado com a mesma intensidade com que a Prefeitura divulga as mentiras sobre ela mesma.

Como os prefeitos anteriores, Mulim insiste em tratar São Gonçalo como se fosse uma cidadezinha do interior com 10 mil habitantes. Seu governo no máximo convenceu milicianos que controlam a operação das vans a reduzir o valor da passagem para R$ 1.50, ganhando em troca um bonitinho adesivo público e a legalização de um transporte onde nem equinos e bovinos merecem ser carregados, tamanho o desconforto e as irregularidades praticadas.

Desespera a constatação de que nada realmente transformador é realizado em São Gonçalo. E se engana quem pensa que o problema é escassez de dinheiro: o último governo perdeu verbas federais devido a falta de projetos para aproveitá-las e o governo atual deu R$ 26 milhões à Marquise sem qualquer licitação. Os cofres públicos devem estar transbordando.

Não se percebe evolução alguma, por isso não há esperanças por um futuro melhor. As ruas estão abandonadas, os jovens trocam a escola por álcool e drogas cada vez mais cedo e as crianças, ignoradas durante as férias escolares, passam o dia inteiro soltando pipa. Novamente elegemos uma equipe de aproveitadores que deixará o poder sem qualquer programa de governo ou respeito por nosso município.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta