Bom dia.

Favor não me identificar!

Quero denunciar a falta de respeito que tá acontecendo em São Gonçalo. Moro nessa cidade suja e barulhenta desde 1989 e pensei que ela fosse melhorar, mas até agora nada.

Pra piorar, a violência aumentou muito nos últimos anos. Tá morrendo PM todo dia. O presidente Temer não quer saber de nós, o Estado do Rio não olha pra gente e o prefeito Nanci só se preocupa em empregar a família.

Não aguento mais pagar taxa de iluminação pública e viver na escuridão. As lâmpadas dos postes estão todas queimadas. Nem viver em um lugar que não tem jardim público, um canteiro sequer, uma florzinha encostada na parede. Já as pilhas de copos de Guaravita e caixas de papelão nas ruas estão alcançando o céu. Pra onde olho tem lixo, roubo, assassinato, barricada, informalidade, fiação embolada, parede pichada e faixa de arame e sarrafo pendurada nas passarelas, nos viadutos e postes.

O trânsito tá cada vez pior, levo mais de uma hora pra sair do Centro e chegar em casa, no Alcântara. E nada de Linha 3 do Metrô.

Os jovens não têm lazer. O governo Nanci dá esmola e quer que a gente agradeça. Nem a metade da Praça Chico Mendes foi recuperada, mas os parasitas do governo foram lá e fizeram festa de inauguração. As meninas estão engravidando aos 13 anos e os meninos de 14 comem maconha no café da manhã.

O povo tá largado. Quando chega o aniversário do Guanabara, é cada um passando por cima do outro, tapa pra todo lado pra comprar arroz e feijão, parece que nunca viram comida na vida. Tem gente brigando na fila do Guanabara e saindo na porrada na fila de emprego. Que isso, tem que ter respeito.

E sabe quem é que mais sofre em São Gonçalo? Quem tem necessidades especiais. Sofre com todos os problemas e fica preso dentro de casa porque aqui não tem asfalto, calçada, rampa, não tem dignidade.

A culpa não é do povo não. A culpa é dos vereadores que acham que R$ 15 mil por mês é pouco, enquanto a gente sobrevive com menos de um salário e pra trabalhar de camelô precisa dar arrego pra funcionário da Prefeitura. A culpa é de quem se candidatou, pediu voto e disse que ia mudar de verdade. Tá na hora de alguém fazer alguma coisa.

O comércio e a população geram uma quantidade enorme de material reciclável e a cidade não aproveita. É burrice. Dezenas de milhares de trabalhadores especializados saem de casa e enfrentam mais de duas horas de trânsito pra trabalhar no Rio. Com incentivo do governo, poderiam criar empresas aqui e manter os clientes lá, gerando receita e criando emprego. E passariam seus conhecimentos à juventude que largou a escola pra transar, comer maconha e se envolver com o tráfico. O governo não organiza o comércio popular que atrai gente de outras cidades em um mercadão. É burrice. A Prefeitura não planta nem árvore no centro urbano pra amenizar o calor. Burrice não, é falta de respeito com o cidadão e isso a gente não pode admitir.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta