Reduzir a maioridade penal é enganação

O número de adolescentes infratores aumentou no Brasil inteiro nos últimos meses e não para de crescer: sábado passado (25/05), um jovem de 17 anos matou a tiros um professor em Fortaleza e diariamente temos notícias de roubos, furtos e outros delitos cometidos por adolescentes. Mesmo assim, sou contra a redução da maioridade penal de 18 anos para qualquer idade porque a redução não resolveria o problema da criminalidade.

Pesquisas indicam que desigualdade social, baixa escolaridade e falhas na educação familiar, problemas tão profundos quanto a violência, geram jovens mais suscetíveis a cometer crimes. Por isso, enquanto cidadãos deveríamos analisar, discutir e cobrar com mais rigor soluções para esses males, em vez de defender prematuramente qualquer falso tratamento, como a redução da maioridade.

Mudar nosso pensamento é o maior desafio – acreditamos que problemas como a pobreza alheia não nos afetam diretamente, outro engano, e nos habituamos a tragédias como pessoas morando nas ruas e crianças pedindo esmola, mas nenhuma sociedade se desenvolve se não estiver plenamente unida.

E como cada pessoa pode agir de imediato a fim de combater a criminalidade? Podemos buscar mais educação para nós mesmos, educar melhor nossos filhos, transmitir valores morais e éticos aos jovens que conhecemos e favorecer a satisfação mútua em vez do lucro individual.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta