Marcelo me acorda pontualmente às 06:20 de segunda a sábado. Assoviando alto, ele desce o morro da Caixa D’água de bicicleta carregando panos pra vender no sinal de trânsito da rua Tiago Cardoso, em Alcântara. Enquanto partidos e personalidades políticas se empurram como crianças na fila do bolo por um pedaço de São Gonçalo nas eleições deste ano, no meio do povo sobram exemplos de luta digna por sobrevivência.

A vida agitada do camelô mais famoso da cidade não caberia aqui. Melhor dizer logo o que Marcelo tem a ensinar: coragem, irreverência e disciplina. Ele trabalha como vendedor ambulante desde os 12 anos, quando fugiu de casa após ser espancado pelo pai, alcoólatra, que o obrigava a roubar de feiras e supermercados. Mesmo sofrendo outras crueldades, como dormir na rua ainda criança, Marcelo carregou consigo o sonho de cantar rap.

Também conhecido pelo bordão “Fala Jow”, usado ostensivamente para cumprimentar os amigos, Marcelo, 47 anos, é aquela figura divertida que alguns bairros têm. Seus improvisos conquistam o cliente que chega a Alcântara pela RJ-104, marcaram minha adolescência no Vila Três e foram apresentados profissionalmente em programas de TV e rádio até do Ceará. Entre as parcerias famosas, cantou com DJ Marlboro em Botafogo (RJ) e MC Bira, com quem compôs o rap “Chega de mãe chorar”.

O período que viveu na rua, até os 17 anos, não foi fácil. “Vida de massacre”, diz. Vadiava e roubava. Esteve internado por 6 meses na Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor (FUNABEM). Estudou até o 5º ano do Ensino Fundamental.

Exposto ao escapamento dos veículos, apesar da chuva ou do sol, Marcelo diz “bom-dia” de forma bem-humorada a cada motorista que para no seu ponto em frente a praça Chico Mendes e ao viaduto. Já vendeu ali biscoito, bala e água de coco, mas hoje vende pano de chão e flanela, “produto que não estraga”, e ajuda no controle do trânsito com seus gestos e assovios ágeis, de um lado para o outro.

Perguntei se dava para pagar as contas da família – esposa, filho e enteado – como camelô. MC Marcelo Fala Jow abriu a carteira na hora e não resisti: contei mais de R$ 200.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

3 comentários

  1. Exímeo guerreiro, lutador que luta contra as más correntes da vida, exêmplo de pessoa e personalidade, sempre ao vêlo admiro sua garra e alegria ao trabalhar e cantar seus rap’s, grande Marcelo fala jow.

  2. Eu encontro ele tds os Dias. Esta sempre sorrindo e brincando…Nao tem Como nao Passar de Carro ou no Onibus e nao Gritar * JOWWW * Ele é o Melhor que nos Temos aqui em Sao Goncalo….

Deixe um comentário

Deixe uma resposta