Muita calma nessa hora – Por Helcio Albano

Helcio Albano é editor do Jornal Daki

As eleições de 2018 para presidente da República têm acirrado os ânimos de muita gente boa e, em muitos casos, até encerrando ou abalando amizades de anos a fio e até relações familiares. O clima, pelo menos nas redes sociais, é de guerra. A racionalidade nos debates políticos sucumbiu ao ódio e qualquer resultado após o pleito deixará o país ainda mais rachado, radicalizado e intolerante em ambos os lados. Não haverá vencedor.

É triste saber que um dos candidatos, com grandes chances de vitória, relativiza a democracia, apoia a ditadura e a tortura, defende a violência como forma paradoxal de conter a violência, menospreza a cultura e acredita que a diminuição dos direitos sociais e dos trabalhadores irá beneficiá-los. E mais triste ainda quando nos damos conta que tal candidato tem o apoio de mais de 30% da população. A sensação é de que fracassamos como sociedade. Porém, é essa a nossa realidade e com ela é que teremos que conviver até nos entendermos novamente, sou otimista.

Por isso, e mais do que nunca: muita calma nessa hora. A democracia deve ser um valor em si e a política é imprescindível para exercê-la. Vivemos um momento de transição. Isso é certo. Estamos saindo de um lugar para ir para outro. Então, muito juízo com as nossas escolhas para não nos arrepender-mos depois.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta