Neilton Mulim, sumido e mentiroso, não será mais prefeito de São Gonçalo em 2017. Comemore, gonçalense. O prefeito será Dr. José Luiz Nanci ou Dejorge Patrício, que disputarão o 2º turno da eleição municipal. Depois de comemorar, se prepare para novos tempos políticos adversos.

Nanci chegou ao 2º turno apesar do pé quebrado no início da campanha, um fenômeno. Explicado mais por sua antiga fama política, recheada de paternalismo, do que pela força de sua militância. Nanci foi vereador em São Gonçalo cinco vezes e exerce o segundo mandato como deputado estadual. Mas, não se preocupe, sua atividade política nunca o impediu de ser um amigo para as pessoas necessitadas. É isto que diz em primeiro lugar seu Plano de Governo para os próximos quatro anos da cidade. Um amigo com salário duplo, de médico da rede pública e deputado estadual, como publicou o Jornal Extra.

Os eleitores de Dejorge Patrício e Dr. José Luiz Nanci têm algo em comum: não sabem dizer por que votaram nesses candidatos no 1º turno. Têm respostas vagas como: “Dejorge é a renovação da esperança” ou “Nanci é o melhor candidato, sem dúvida”. São incapazes de destacar a proposta de governo que torna seus candidatos especiais, afinal, proposta é algo que eles subestimaram. O documento que Dejorge enviou para o Tribunal Superior Eleitoral nem título tem. A falta de respeito por São Gonçalo é gritante.

Se Dejorge Patrício se tornar prefeito no dia 30 de outubro, São Gonçalo vai emburrecer, uma grande massa de fanáticos religiosos defenderá cada gafe dele, cada gramática da Língua Portuguesa queimada em praça pública. Será que o candidato sustentará sua pose de bad boy  que não estudou ou fará um supletivo nos próximos três meses para terminar o Ensino Médio? Artistas e intelectuais da cidade ficarão ainda mais isolados e seus projetos de democratização da cultura continuarão limitados. A imprensa terá que se acostumar ao seu nome estranho.

Caso seja eleito, graças à sua personalidade maleável, o Dr. José Luiz Nanci poderá ser manipulado para o bem ou para o mal. Que o bem se aproxime primeiro. No governo Charles, do qual fez parte, o mal chegou antes e Nanci alega que foi envolvido injustamente em improbidades administrativas. Um político inacabado. Foi vereador cinco vezes e parece menos experiente do que um líder estudantil quando fala, tão grande é o vazio de soluções práticas nas suas palavras.

A quantidade de eleitores que anulou seu voto ou votou em branco é gigantesca e não pode ser desprezada: 132 mil. Se representassem a si mesmos cobrando do novo prefeito, São Gonçalo seria uma cidade diferente.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

3 comentários

  1. Muito bom!!!!! Muito bom!!!!! E agora? O que fazemos de nossas vidas???? O resultado do primeiro turno mostra como estamos despreparados e sem opções! As opções boas não são conhecidas, pq o povo ainda vota naqueles que eles ouviram falar… fazer o que? Como votar no segundo turno???? #naoseioquefazer

    1. Os gonçalenses mais esclarecidos não sabem o que fazer, Raphael. É bom pesquisar sobre os candidatos e seguir o coração. Obrigado pela participação de sempre.

  2. É muito preocupante, eu realmente não sei em quem votar. Um prefeito que nem terminou os estudos. E nem só de boas intenções vive a política, precisamos de um bom gestor. Se escolhermos errado, a cidade ficará mais quatro anos sem desenvolvimento nenhum.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta