No dia 28 de abril, usando sua página no Facebook, o prefeito de São Gonçalo fez um pedido de desculpas pela “grave” situação na qual se encontrava a cidade. Depois, na edição de junho do jornal Em Dia, José Luiz Nanci disfarçou e pediu paciência e fé no Governo. São Gonçalo continua sendo o 90º pior município do Brasil para alguém viver, considerando as 100 maiores cidades brasileiras (Macroplan). O que o prefeito dirá agora, quando seu mandato completa sete meses? Nanci não consegue resolver problemas simples, como tapar um buraco ou trocar uma lâmpada queimada no poste, e perdeu o direito de pedir desculpas, paciência ou fé.

– Apesar de ter assumido o governo no início desse ano, peço desculpas a toda população por esta situação tão grave na qual se encontra hoje a nossa querida cidade. Garanto a todos vocês estar fazendo tudo para mudar essa realidade e oferecer aos gonçalenses a cidade que merecem.

Foi assim que Nanci se desculpou pela primeira vez. Ficando calada, a população aceitou o pedido, como diz o ditado popular. Pedido que esbanja humildade, virtude que o prefeito anterior, Neilton Mulim, não tinha. Mas que revela profunda falta de planejamento, defeito que persegue sucessivos governos municipais e pelo qual Nanci não pode ser desculpado.

Alguns problemas demoram para ser resolvidos. Em poucos meses São Gonçalo não saltará das últimas posições para a dianteira no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) do Estado do Rio de Janeiro. Mas iluminação pública, pelo amor de Deus, já deveria existir. A escuridão das ruas à noite mostra o despreparo de Nanci para assumir um município de 1 milhão de habitantes.

É difícil administrar São Gonçalo, cidade com mais da metade do Orçamento comprometido com dívidas, por isso competência e estratégia são indispensáveis. No plano de governo de Nanci não está clara nenhuma proposta de cidade, se ele pretende transformar São Gonçalo em um polo varejista ou em uma referência estadual em reciclagem de lixo. Sua personalidade amiga, benevolente, entretanto, foi bastante destacada.

Nanci resolveu questões importantes, como a regularização do pagamento dos servidores públicos. E ensaiou medidas interessantes: o Programa Municipal de Parcerias Público-Privadas pode trazer inovação e agilidade à administração pública. Além disso, não saiu do lugar, exceto por esforços isolados de poucas secretarias (Cultura, Desenvolvimento Social e Educação).

Falta infraestrutura, segurança, manutenção das ruas, sinalização, varrição, coleta de lixo… Nanci deve promover, logo, o resgate da identidade gonçalense através de urbanização abrangente e incentivo ao conhecimento histórico e cultural. A lista de deficiências municipais é longa e sete meses de governo colocam o atual prefeito entre os culpados.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta