José Luiz Nanci, atual prefeito de São Gonçalo, se formou em Medicina aos seis anos de idade e logo no ano seguinte passou a oferecer seu ombro amigo ao povo carente nas horas difíceis. Zé Luiz, como permite ser chamado, se responsabilizou por mais de 400 mil anestesias gratuitas e deslocou o ombro aproximadamente 35 vezes ao longo da carreira, quando o pobre necessitado puxa, sacode, chora e abusa demais do apoio.

Em 1992 Nanci foi eleito vereador pela primeira vez em São Gonçalo e aí não parou mais. Acumulou 5 mandatos consecutivos sustentados pelo voto e pelo dinheiro público gonçalense graças à sua história limpa e de sucesso.

Tendo ajudado a tanta gente, dezoito anos depois da primeira conquista política Nanci se lançou em campanha para deputado estadual do Rio de Janeiro e alcançou, como era de se esperar, vitória! O mandato como vereador em São Gonçalo terminaria em 2012, mas antes de terminar ele correu rapidinho para a ALERJ, onde os benefícios políticos e financeiros são mais evidentes.

O querido Zé Luiz deu outro tiro certeiro em 2014: foi reeleito deputado estadual. Como ele consegue ganhar todas? Por que não divide seu segredo em vez de somente ouvir os problemas das pessoas necessitadas? Será que o sucesso vem das antigas ramificações políticas e sociais de seu sobrenome famoso espalhadas pela cidade? A capacidade de autogestão de Nanci, entretanto, não deve ser subestimada: a atividade política nunca o obrigou a parar de exercer a Medicina, nem quando era criança. Através deste talento sobrenatural, Nanci conseguia estar em dois lugares ao mesmo tempo e pôde acumular o salário de médico concursado da rede pública (R$ 3.289,99) com os vencimentos da Assembleia Legislativa — R$ 25.322,25 (Jornal Extra).

Em 2016, outra vitória incontestável: Zé Luiz é eleito prefeito de São Gonçalo e pela segunda vez na História a família Nanci ocupa o maior cargo do Executivo municipal.

Só um político astuto ou cara muito legal compõe seu governo com ex-adversários políticos, honestos, e com aliados de longa data denunciados pelo Ministério Público Estadual por desvio de verbas do SUS.

Como um adolescente gago, vítima da timidez, embora intelectualmente superior, Nanci deixou que Dejorge Patrício dominasse os debates na televisão durante a campanha eleitoral.

Dono de uma humildade divina, se o vice-prefeito Ricardo Pericar, que assumiu algumas frentes de liderança no governo, gritar e bater na mesa por mais espaço político, o menino Zé Luiz abaixa a cabeça amedrontado e se protege atrás da primeira-dama, Dona Eliane.

Um anjo inseguro cuja voz sofrida é incapaz de repreender a um bebê. Um prefeito aberto ao diálogo, que assinou a carta de propostas da classe artística, mas depois de 1 mês de fragilidades no cargo ninguém mais confia que cumprirá suas promessas.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Em um país onde 90% dos políticos estão enfiados até o pescoço na lama da corrupção, uma pessoa com o perfil do ‘Zé Luiz” até que não é o pior dos mundos. Depois de sucessivos desastres administrativos, seria temerário entregar a prefeitura a DeJorge ainda inexperiente. Você não concorda que é melhor aguardar e dar um tempo para sua administração? E é melhor torcer também para a economia do país crescer neste período…

    1. Concordo com todo o seu comentário, André. Acredito que ainda existe uma chance de o governo Nanci dar certo. Muitos gonçalenses, no entanto, discordam.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta