Ocupa a Presidência da República um homem sombrio investigado por obstrução à justiça, corrupção passiva e participação em organização criminosa. Alguém que trouxe prejuízos graves à democracia nacional. Além do governo Temer, que completou um ano mês passado, há outras tragédias mais antigas – embora menos debatidas – em curso no Brasil. Nas cinco regiões do país, crianças são exploradas sexualmente e vendem balas nos sinais de trânsito, por exemplo.

Por mais improváveis que possam parecer nos momentos de incerteza política, o afastamento de Michel Temer e a convocação de eleições diretas são desejos populares legítimos. Segundo a pesquisa CUT-Vox Populi divulgada dia 5 de junho, 85% dos brasileiros queriam que o Tribunal Superior Eleitoral cassasse o mandato do presidente e 89% desejavam eleições diretas para substituí-lo.

O Brasil justo e próspero que queremos depende de um presidente digno e, ao mesmo tempo, da força da opinião pública contra o abuso sofrido por meninas de apenas 9 anos que são estupradas e recebem em troca doces e biscoitos em cidades do Pará. Conselheiros tutelares do município paraense de Cametá dizem que de cada dez denúncias, no máximo três terminam em prisão. Urgência que não pode esperar o afastamento do poeta macabro do Palácio do Planalto.

Sendo a juventude a base de um novo país, é grave a constatação de uma pesquisa inédita realizada pela economista Sonia Rocha, do Instituto de Estudos de Trabalho e Sociedade (Iets). Ela calculou que a parcela de crianças e adolescentes entre os pobres é de 38,3%, algo espantoso numa época de redução da natalidade e envelhecimento da população. E a taxa de desemprego na faixa de 14 a 24 anos de idade ultrapassou 30%. São milhões de jovens que deixaram a escola para ajudar a família e não conseguem trabalho.

No Rio de Janeiro, a violência divide com a pobreza o papel de afastar jovens da escola. O desespero dos alunos da rede pública, que pelo menos uma vez por semana abandonam as salas de aula e se abaixam nos corredores para se proteger de tiroteios, parece não ter fim com a permanência ou com a saída de Temer da Presidência. Bandidos determinam qual aluno pode frequentar a escola a partir da facção criminosa que domina seu local de origem. A evasão escolar nas regiões afetadas pelo tráfico de drogas é o dobro do restante da cidade.

Nas cidades de Niterói e São Gonçalo, também no Estado do Rio de Janeiro, e na capital de Alagoas, as crianças se drogam nas calçadas e são obrigadas a vender balas nos cruzamentos, colocando a vida em risco. Algumas mal conseguem alcançar o vidro dos carros.

A responsabilidade sobre essas tragédias cai inevitavelmente sobre o presidente, mas Temer não tem as qualidades morais necessárias para responder à altura. Sua inexpressividade institucional cria as condições que viabilizam catástrofes como dezenas de mortes em chacinas no campo este ano e ataques contra ativistas e defensores de direitos humanos que levaram a Organização das Nações Unidas a cobrar uma resposta do Estado brasileiro.

Tanto quanto eleger um novo presidente, o brasileiro deve conhecer as origens e implicações das calamidades que assolam o País. Qual personalidade política sinceramente cultiva em sua pauta indignação, capacitação e valores humanos para combatê-las ao lado do povo? João Doria ou Jair Bolsonaro? Política sem humanidade provoca tragédias e aberrações.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

1 comentário

  1. Poxa pesquisa da cut nunca será imparcial ou séria, sobre o presidente ele é o vice do PT que tanto roubou então não é estranho ser bandido também assim como lula/dilma/dirceu, porém na situação atual se remover ele teremos uma eleição indireta com um senado e deputados tão bandidos quanto todos do PT que se embebedaram no poder e vão fazer de tudo inclusive comprar “pensadores” e etc….. não vou continuar com meu comentário sobre o texto como todo pois minha opinião que ele não é imparcial….Acredito que comentários políticos devem ser todos imparciais e nunca tentar ajudar um lado…..

Deixe um comentário

Deixe uma resposta