Perfil do povo gonçalense

De acordo com os dados do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, o povo gonçalense é jovem, pobre e sem instrução. Com tristeza acrescento ainda, a partir da minha observação e da opinião de pessoas que vivem há anos em São Gonçalo, que somos mal educados e desleixados.

A faixa etária mais frequente na cidade, em ambos os sexos, oscila entre 30 e 34 anos de idade; nada anormal, pois em média a população brasileira é jovem. Contudo, São Gonçalo apresenta números inaceitáveis referentes a renda e educação: mais da metade da população cursou no máximo o ensino fundamental e a renda per capita é inferior ao salário mínimo, insuficiente para o sustento digno.

Sabemos que o Brasil é um país economicamente desigual e que carece de investimentos na área de educação. Mas, em muitos municípios do país, pobreza e falta de instrução não impedem a prática do respeito entre seus moradores e o zelo para com o patrimônio da cidade. Em São Gonçalo, no entanto, o povo tem o vergonhoso hábito de jogar lixo na rua. Fumantes lançam o cigarro aceso no chão, crianças jogam papel de bala onde querem, adolescentes depositam o copo vazio de guaraná natural nos canteiros ou ao lado dos postes (como se postes fossem lixeiras), adultos compram salgado e refresco na lanchonete e depois jogam o guardanapo e o copo em qualquer lugar, e até os casais, depois de apaixonadamente tomarem um milkshake,  jogam o copo vazio no meio-fio, entre a rua e a calçada, numa péssima demonstração de cumplicidade e ignorância.

Não à toa, a falta de educação (diferente da baixa escolaridade) é a característica do povo gonçalense mais citada pelos próprios habitantes da cidade. Mas há quem veja qualidades no povo como honestidade, solidariedade e responsabilidade em relação ao trabalho. E as dificuldades impostas pela vida na cidade, como precariedade dos serviços públicos, falta de mobilidade urbana e desemprego nos obrigam a desenvolver outras qualidades para sobreviver, como resiliência e criatividade.

Se popularmente a principal característica do carioca é o estilo de vida despojado, praiano, a do paulista é a grande dedicação ao trabalho e a do gonçalense é a falta de educação, não podemos simplesmente nos conformar, rir desta imagem negativa e dizer “gonçalense é tudo favelado” ou “só podia ser de São Gonçalo”. Transforme seus hábitos ruins, invista em suas qualidades e oriente familiares e amigos a fazer o mesmo.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

2 comentários

  1. Mais uma vez concordo contigo.
    Mas minha esperança está nas novas gerações, quando meu filho fala: “papai, quem jogou isso no chão? Foi o moço filho. É feio né papai, briga com ele. ”

    Tenho esperança em nossa cidade, Mário.

    Abs

    1. Raphael, não tenho dúvidas que existem soluções para São Gonçalo. Instruir as novas gerações e o despertar da consciência do povo são duas delas. Também acredito no empreeendedorismo social. Obrigado por compartilhar sua opinião.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta