Não consigo conceber como pessoas comuns, jovens, idosos e crianças poderiam utilizar uma praça tomada por estruturas de ferro. Sendo artistas de circo, talvez houvesse utilidade. Tão pouco compreendo como uma equipe de profissionais foi convencida a executar projeto tão estúpido.

Há 1 ano e 8 meses atrás, a Praça Chico Mendes, no bairro Raul Veiga, foi destruída por aqueles que deveriam protegê-la, a própria administração pública de São Gonçalo. E até hoje as três quadras poliesportivas e a pista de skate que haviam na praça e faziam parte das raríssimas opções de lazer que existem na cidade ainda não foram reconstruídas.

Em uma demonstração clara de fanatismo religioso e ignorância política e cultural, o nome da praça também tentaram modificar, cabendo ao povo adotar ou não a mudança. Enquanto estiver vivo jamais vou citar o novo nome, diante das condições arbitrárias em que o impuseram, embora se refira ao livro mais importante do mundo em número de cópias vendidas.

A transformação insensata da Praça Chico Mendes, quando o necessário era apenas uma reforma do que já existia, foi um ataque de ódio à população de São Gonçalo, principalmente ao público jovem que frequentava o local, às crianças que ali se divertiam, aos idosos que nela circulavam. Há tanta burrice neste ato que não coincidentemente a praça se encontra fechada com correntes e cadeados desde o fatídico dia da inauguração da obra.

Aqueles que projetaram este bizarro monumento à incompetência humana, engenheiros, arquitetos (se é que existiram) merecem ter suas licenças profissionais cassadas e jamais exercer novamente a profissão. Como R$ 2 milhões do dinheiro público foram desperdiçados e o patrimônio anterior, de valor inestimável porque era um espaço de lazer dentro de um centro urbano caótico, foi destruído de forma criminosa, cadeia para esses indivíduos, inclusive a responsável maior, a ex-prefeita Aparecida Panisset, não seria exagero. A Justiça poderia poupar somente o pedreiro que talvez passasse fome se não aceitasse o emprego. O resto deveria ser punido.

Se você mora em outro ponto da cidade, deveria ver o quão espantosa está hoje a praça com estas barras de ferro altíssimas emaranhadas em diversos sentidos. As lonas com passagens bíblicas, objetivo maior da reformulação fanática, estão rasgadas, dependuradas e quase não existem mais, deterioradas pela ação do tempo em menos de dois anos. Gostaria de conhecer quem teve esta ideia e não pensou em coisas tão óbvias, como o vento e a chuva. E quem a executou dificilmente acreditou que funcionaria.

Na verdade a destruição da Praça Chico Mendes deve ter sido uma descarada lavagem de dinheiro amparada pelo apelo religioso. Exija que a administração atual inicie imediatamente a recuperação total da praça.

Publicado por Mário Lima Jr.

Gonçalense, escrevo sobre política e sociedade em defesa da essência humana.

Participe da discussão

2 comentários

    1. Muito obrigado, Alex. Acredito na recuperação da Praça Chico Mendes através da mobilização da sociedade. É bom ver grupos e pessoas como você agindo.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta